70 Anos do Fim do Cerco a Leningrado (27 de Janeiro de 2014)

Oi gente, quero me apresentar a vocês!

Meu nome é Fabiana, sou casada, tenho 2 filhos e moro em Blumenau – SC. Fui convidada pela Alê e Vivika para fazer parte da equipe TBHBr😀. Muita emoção e responsabilidade. Essa história parou minha vida quando eu a li (na verdade, ainda estou lendo. Me encontro no 3º livro “O jardim de verão” ou no meu caso que estou lendo em espanhol, “El jardín de verano”). Fiquei e ainda estou sem condições de outra leitura. Cativa de ‘O Cavaleiro de Bronze’ do Shura, da Tatia e de Lazarevo! ~ Aiii ~

Vamos ao que interessa!

Bom, não é novidade nenhuma que depois de ler a trilogia O Cavaleiro de Bronze nós ficamos fanáticos com toda e qualquer notícia relacionada à Rússia. Pois é galera, no último 27 de janeiro foi o aniversário de 70 anos do fim ao Cerco à Leningrado e eu que acompanho vários sites de notícias da Rússia, li uma reportagem que quero compartilhar com vocês e também relembrar essa data tão importante, não só para os Russos mas para toda pessoa que ama História. *-*

Foram 872 dias de cerco. De fome, frio e principalmente de desumanidades e perda de esperança.

A Paullina não só nos presenteou com uma história de amor de “parar o coração” como também nos deu aulas de História e Geografia! Sim Geografia também, porque nossa querida Leningrado era importante em termos de logística, olha aí o que diz na reportagem da Gazeta Russa sobre sua localização geográfica:

“[…] mas era importante em termos de logística. Se tomassem Leningrado, os alemães teriam à sua disposição um porto marítimo e um importante nó ferroviário de abastecimento.”

Fonte: The Guardian

O cerco a Leningrado, que teve início em janeiro a 70 anos atrás, foi o mais mortal na história da humanidade. Em junho de 1941, a Alemanha Nazista lançou um ataque surpresa contra seu aliado, a União Soviética de Stalin. Ao final de Agosto, o exército alemão alcançaram as imediações de Lenigrado – antigamente e atualmente conhecida como São Petersburgo, a capital histórica da Rússia, no mar báltico. Em 31 de agosto, eles cortaram a última linha ferroviária de acesso à cidade, e em 8 de setembro, a última estrada. Ataques aéreos começaram na mesma noite. Pelos próximos 17 meses, ninguém poderia deixar a cidade nem nenhuma comida podia chegar até lá, exceto por via aérea, ou através do lago Ladoga, a leste no interior. Quando o cerco finalmente foi quebrado, em janeiro de 1944, cerca de três quartos de um milhão de civis – entre um quarto e um terço da população pré-cerco morreu de fome. (tradução: Alê – Equipe TBHBr)
Fonte: The Guardian

Ainda no texto da reportagem, fala da evacuação da população – o congelamento do Lago Ladoga –  e também da fome – as quantidades miseráveis das rações.  Tudo isso lemos e sofremos com Shura e Tatia. A luta diária contra a fome e o frio dos nossos queridos personagens é algo que transcende nosso entendimento. Nunca saberemos na pele como é… (Ainda bem!)🙂

 Na trilogia O Cavaleiro de Bronze o fim do cerco se dá no segundo livro, “Tatiana e Alexander – The Bridge to the Holy Cross” ( “A Ponte para a Sagrada Cruz”, em tradução livre), enquanto nosso Shura paga os pecados de uma vida inteira o cerco vai se enfraquecendo e temos no livro uma declaração dele que 1943 seria o último ano com os alemães.

Fonte da imagem

Fonte da imagem
Durante o rigoroso inverno no cerco a Leningrado, muitas vidas foram salvas devido a uma estrada construída pelo Exército Vermelho sobre as águas congeladas do lago Ladoga, por onde eram enviados suprimentos à cidade, em uma tentativa perigosa e desesperada do exército de manter os cidadãos sitiados vivos. Grande parte desses suprimentos se perdeu no fundo do lago, quando o gelo cedia com o peso dos caminhões e bombardeios. Mas o exército russo nunca desistiu. (texto: Alê – Equipe TBHBr)

Querem saber o mais lindo? Mesmo com toda essas adversidades (você pode pensar, que eufemismo heim Fabi?) Rsrs. Mesmo com todo esse caos generalizado, a vida cultural de Leningrado prosseguia! Com teatros e bibliotecas abertos ao público (ainda no 1º inverno do cerco), inaugurações de escolas e teatros, com direito a um Concerto da Filarmônica Municipal e tudo!

 E aí é pra amar ainda mais essa cidade ou não?

Um mito sobre o cerco é que todos os cidadãos de Leningrado sofreram igualmente. Na verdade, uma minoria substancial permaneceu saudável durante o inverno, enquanto seus vizinhos morriam de fome.  Entre os notáveis melhor alimentados estavam os funcionários dos armazéns de comida, funcionários de orfanatos, as esposas e namoradas de oficiais de abastecimento, e funcionários do quartel do Partido (onde sopa, macarrão, carne e repolho eram servidos diariamente no almoço).  Informantes registraram a raiva de cidadãos de Leningrado: "Eles estão estufando a cara de comida", disse uma mulher para outra em uma fila para o pão, "enquanto nós morremos." Fonte: The Guardian

Um mito sobre o cerco é que todos os cidadãos de Leningrado sofreram igualmente. Na verdade, uma minoria substancial permaneceu saudável durante o inverno, enquanto seus vizinhos morriam de fome.
Entre os notáveis melhor alimentados estavam os funcionários dos armazéns de comida, funcionários de orfanatos, as esposas e namoradas de oficiais de abastecimento, e funcionários do quartel do Partido (onde sopa, macarrão, carne e repolho eram servidos diariamente no almoço).
Informantes registraram a raiva de cidadãos de Leningrado: “Eles estão estufando a cara de comida”, disse uma mulher para outra em uma fila para o pão, “enquanto nós morremos.” (tradução: Alê – Equipe TBHBr)
Fonte: The Guardian

É emocionante conhecer a história das lutas que forjaram quem somos e como nos organizamos hoje. Particularmente AMO esse contexto histórico, mesmo antes de O Cavaleiro de Bronze, a II Guerra Mundial tem uma importância geopolítica enorme. E é imprescindível conhecer o passado pra compreender o presente!

Tem mais! A reportagem vai longe e cita lugares importantes para a série TBH. Quer um exemplo? O Palácio de Inverno. *___* Orbeli gente!!!

Ah! Tem um infográfico do Cerco aqui, tipo uma super linha do tempo! Agora, adivinhem que data é o “start” desse infográfico???

 22 de junho de 1941❤

Um beijão queridos! Obrigada =]

~ Fabi

* O vídeo a seguir ilustra em imagens impressionantes vários momentos da vida em Leningrado antes e depois do cerco.

 

6 pensamentos sobre “70 Anos do Fim do Cerco a Leningrado (27 de Janeiro de 2014)

  1. Fabi sua diva linda, já chegando com tudo, o post tá incrível, é impossível vc ler TBH e não querer se aprofundar ainda mais na história do cerco, da Segunda Guerra e claro da Russia, a Paullina escreve de uma forma que te faz sentir todo o sofrimento, a angustia, o desespero pela falta de tudo, o medo, e imaginar o sofrimento que toda essa guerra causou é pra refletir sobre até onde o ser humano pode chegar.

  2. Parabens. A leitura enriquece, engrandece, educa, esclarece. Já ouvi muitas pessoas se desfazendo de certas vertentes de literatura. Romancezinho, estoriazinha, mas em cada obra lida, sempre tiramos aprendizado. Aprendemos a ler e interpretar, a escrever corretamente, E com grandes autores, tipo a Paullina, aprendemos Historia, Geografia, Politica. Aprendemos a guerra sob a otica de quem sofreu na pele. E ainda chamam romances de cultura inutil.

    • Obrigada Christina!
      O maravilhoso é que nos emocionamos com esse romance e agregamos conhecimento histórico! Tem coisa melhor?
      Um beijo, volte sempre! ^^

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s