Ordo Amoris

 

“Tivemos nossos anos felizes, eu e você, mas agora acabou, Baby Blue. Você era pura vida e eu era um tolo, tão jovem … bêbado em nossos passeios no Central Park sob a grande lua amarela e nossos vidros embaçados  do Biltmore. Você estava sempre dizendo que não tínhamos futuro … e você estava certa. Eu tinha sonhado com “non la luna che c’e . Você se lembra quando nós falamos sobre Santo Agostinho? Daquilo ele chamou Ordo amoris, a ordem no amor? Ele disse que a verdadeira virtude e amor verdadeiro para os seres humanos é definido pela atribuição a cada objeto o grau preciso de amor que ele era ele mesmo, que ele merecia. Sempre fomos descompensados nesse sentido. […] Houve um tempo em que eu pensei que o que eu sentia por você era real. Houve um tempo em que eu pensei que o que eu sentia por você era amor, em maiúsculas: Vy sgubili menya/ochi chernye ¹. Agora eu sou grato porque você sempre soube a diferença, sempre foi mais sensata. Obrigado por abrir meus olhos para o que nós não éramos, mas que tanto se assemelhava a verdade.
Ti amavo e tremo.”

¹”Você me arruinou olhos negros”

The summer garden

Explicação da Fabi❤ : Pessoal, esse quote é um trecho de uma carta lindíssima demais da vida de The summer garden! Não posso falar detalhes pois seria um ultra spoiler… Mas me chamou atenção o Ordo Amoris. Pesquisei seu significado e gostaria de dividir com vocês!😉

O que é Ordo Amoris? 

Em poucas palavras, Agostinho diferencia, na sua doutrina da ética, dois conceitos fundamentais que nortearão esse aspecto de sua filosofia, a saber, o conceito de uti e frui.

Na vida moral do sujeito, os atos individuais implicam uma tomada de posição frente as coisas. Para Agostinho, utilizamos as coisas ou fruímos as coisas. Fruir significa amar a coisa por ela mesma. Usar é se servir de algo como meio para atingir aquilo que se ama, apenas se o objeto for digno de ser amado, diz Agostinho. A fruição só pode ser de Deus, pois ele é o sumo bem e o único que pode ser amado em si mesmo, por ser Deus e nada estar acima dele.

Como apenas Deus merece a fruição, o amor ilimitado, os outros objetos terão um amor limitado, melhor dizendo, os outros objeto deverão ser limitados ao tipo de amor que eles merecem. “Nossa primeira tarefa moral é, pois, a de ajuizar todas as coisas segundo o seu verdadeiro valor, e de conformar o nosso amor a essa valoração. O resultado de tal procedimento será a instauração da ordem do amor pela prática da virtude, que outra coisa não é senão o amor bem ordenado: ‘Unde mihi videtur, quod definitio brevis et vera virtutis: ordo est amoris‘. O vício, por sua vez, é a inversão desta ordem do amor”.

Basicamente a ordem do amor é isso, e essa ordem será fundamental para Agostinho fundar sua ética e sua ordem social na Cidade de Deus.

Fonte

Trecho do livro "the summer garden" em espanhol.

Trecho do livro “The summer garden” em espanhol.

 

Músicas que são citadas no quote/carta!!😀

Espero que curtam e se emocionem como eu ! *-*

~ Fabi

2 pensamentos sobre “Ordo Amoris

  1. Post maravilhoso amiga! Só vc para despertar o olhar para algo que tinha me passado despercebido na primeira leitura. Preciso reler TSG urgente!!❤

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s