A Memória de Leningrado

No primeiro livro da trilogia The Bronze Horseman, a autora descreve o cenário de destruição, miséria, desolação da população que ficou confinada em Leningrado no terrível período do cerco imposto pelos alemães nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. A heroína Tatiana, a mais jovem da família, luta incansavelmente contra os pequenos obstáculos impostos não apenas pelo inverno rigoroso que assolou a cidade, mas também contra a fraqueza que se apodera dos corpos dos remanescentes, transformando simples atividades como descer um lance de escadas, em um desafio quase impossível de ser vencido. Mesmo assim, Tatiana nunca desistiu. E testemunhou o sofrimento de seus conterrâneos que enfrentaram os mesmos problemas, nem sempre conseguindo obter êxito. Confira o pequeno excerto abaixo:

“…

Tatiana relutou em olhar para a traseira aberta do caminhão oficial. Os corpos estavam empilhados até três metros de altura, um em cima do outro. “Estas são todas as pessoas que morreram hoje?” Perguntou ao motorista. “Não,” disse ele, “Estas são apenas as que coletamos esta manhã.” Ele inclinou-se em sua direção. “Ontem retiramos mil e quinhentos corpos das ruas. Venda sua vodka, garota, venda e compre algum pão para você”. A entrada do cemitério estava barricada com cadáveres, alguns cobertos com lençóis brancos, outros sem. Tatiana vou uma mãe com uma criança pequena que estava puxando o pai morto até o cemitério, quando elas próprias congelaram na entrada, na neve. Fechando os olhos, Tatiana sacudiu a imagem para longe de sua mente. Ela queria voltar para casa. “Não conseguimos passar. Não conseguimos limpar o caminho. Vamos deixar nossa Babuchka,” disse Tatiana. “O que mais podemos fazer?” Ela e Dasha pegaram o corpo de Babuchka e o deitaram gentilmente na neve próximo aos portões do cemitério. Elas permaneceram de pé diante dele por alguns minutos. Então foram para casa. Venderam suas duas garrafas de vodka e receberam apenas duas bisnagas de pão branco em troca no mercado negro. Agora que Tikhvin se debandou para os Alemães, não tinha mais pão nem mesmo no mercado negro.

…”

~Tradução: Alê (TBHBr)

O post abaixo revela imagens de Leningrado curiosamente sobreposta com fotos atuais de São Petersburgo, tiradas nos mesmos lugares, revelando a memória desse passado doloroso, trazendo-o à tona como um fantasma dos tempos de guerra.

A história nos contou tudo mas frequentemente esquecemos as dificuldades experimentadas por gerações passadas, especialmente durante certas guerras. No entanto, algumas pessoas desenvolvem formas muito criativas e profundas de refletir o tempo que se passou, apresentando sua visão para o mundo sob uma nova luz. Com fé, nossas crianças e as gerações futuras ainda se lembrem que a vida confortável que têm provém de um derramamento de sangue de pessoas no passado.

Continuar lendo

Anúncios