Citação do Dia

article-2713700-202FF92700000578-780_634x502

“Tania, eu fui enfeitiçado por você desde o primeiro momento em que lhe vi. Lá estava eu, vivendo minha vida depravada, e a guerra tinha acabado de começar. Minha base estava uma completa desordem, pessoas correndo por aí, encerrando contas nos bancos, retirando dinheiro, pegando comida dos mercados, comprando a Gostiny Dvor inteira, se alistando no exército, enviando seus filhos para acampamentos -” Ele interrompeu, “E em meio a meu caos, lá estava você!” Alexander sussurrou apaixonadamente. “Você estava sentada sozinha nesse banco, impossivelmente jovem, uma loira de tirar o fôlego e adorável, e você estava tomando sorvete tão despreocupada, com tanto prazer, tamanha delícia mística que eu mal pude acreditar no que via. Como se não existisse nada no mundo naquele domingo de verão.”

- O Cavaleiro de Bronze

~ Alê

 

Notícia: Editora Novo Século publicará as Prequels de ‘O Cavaleiro de Bronze’!

Olá pessoal, tudo bem? Temos uma notícia extraordinária para vocês! Estão prontos?

week-in-review-emma-stone-gifs-little-mix-thecozyarmchair

 

A editora Novo Século acabou de anunciar que comprou os direitos de publicação das prequels da série O Cavaleiro de Bronze! Para quem nunca ouviu falar dessas prequels, nós já comentamos sobre elas AQUI no blog. São os livros Children of Liberty e Bellagrand, que contam a história dos pais de Alexander Belov/Barrington nos Estados Unidos antes de imigrarem para a União Soviética com Shura ainda pré-adolescente.

happy

Nesses livros não tem Tatiana, e Shura aparece apenas nas fases de bebê e infância, mas assim como toda história da Paullina, são muito bem escritos e envolventes e nos permitem compreender um pouco das influências que formaram o caráter e personalidade (e temperamento!) de nosso herói favorito, através das experiências e relacionamento de seus pais. Tudo o que aconteceu em Children of Liberty e Bellagrand resultou na ida de Alexander para a Rússia e, consequentemente, em seu encontro com o grande amor de sua vida. O resto a gente já sabe! :)

Assim como nos livros TBH, suas prequels nos fazem experimentar todas aquelas sensações que os leitores de Paullina estão acostumados: amor, ódio, suspense, angústia, esperança e, principalmente, a sensação de que terminamos a leitura transformados.

Vamos aguardar e cruzar os dedos para Children of Liberty e Bellagrand serem publicados no Brasil muito em breve!

Vejam o post original do blog da Novo Século:

“Adquirimos os direitos de publicação dos livros Children of Liberty e Bellagrand, prequels da história narrada em O cavaleiro de bronze.

1013371_647230985374931_4330432360990501002_n

Em Children of Liberty conhecemos a história de Gina, uma pobre imigrante italiana que viaja para Boston apenas com a roupa do corpo em busca de uma vida melhor, e de Harry Barrington, um abastado jovem americano. Apesar de suas diferenças e da forte oposição de suas famílias, a atração é forte. Confrontando um momento de transformação para uma nação em crescimento, Gina e Harry devem encontrar a coragem para fazer o que é certo, não importa o preço.

Quem leu O Cavaleiro de Bronze já percebeu quem é o casal principal, né?! Sim, vamos conhecer a história dos pais do Shura. Afinal, se não fossem eles, as chances do Alexander conhecer Tatiana seriam praticamente nulas.

Mas a história apresentada em Children of Liberty não é a mesma contada por Shura. É aí que entra Bellagrand. Neste romance, Paullina mostra a jornada do casal Barrington em busca de uma nova vida. Gina se tornou uma mulher independente, bondosa, forte e que deseja desesperadamente ter uma família. Harry é agora um idealista político que quer criar um mundo melhor. Neste livro conheceremos todas as dificuldades, alegrias e tristezas que os pais do Alexander Barrington tiveram que enfrentar juntos na busca pelo que acreditavam ser o melhor.

E não se preocupem, a continuação de O Cavaleiro de Bronze – Tatiana & Alexander –já está confirmadíssima e em breve divulgaremos a data de lançamento.

Citação do Dia

tumblr_n4jgf0GLEE1tnk7y9o1_500

“– Encontrei meu verdadeiro amor nas margens do rio Kama – sussurrou Alexander, olhando para ela. – Encontrei meu verdadeiro amor em Ulitsa Saltykov-Schedrin, quando estava sentada num banco e tomando sorvete. – Você não me encontrou. Você nem estava olhando para mim. Eu encontrei você. Longa pausa. – Alexander, você estava me procurando? – Minha vida inteira.”

“[...] Era um dia perfeito. Por cinco minutos não havia guerra e era simplesmente um domingo glorioso num junho de Leningrado. Quando Tatiana tirou os olhos do sorvete, viu um soldado, que a observava do outro lado da rua.[...] O ônibus chegou, obstruindo a visão de Tatiana. Ela quase gritou e levantou-se, não para subir no ônibus, não, mas para correr adiante através da rua, para não perdê-lo de vista. A porta do ônibus abriu, e o motorista olhou, esperando. Tatiana, suave e silenciosa, quase gritou com ele para que saísse da frente.

– Vai subir, senhorita? Não posso esperar para sempre.

– Subir? Não, não, não vou.

– Então que diabo está fazendo esperando pelo ônibus? – o motorista gritou e bateu a porta. Tatiana voltou ao banco e viu o soldado correndo ao redor do ônibus. <3 Ele parou. Ela parou. De novo se abriram as portas do ônibus.

– Precisa do ônibus? – perguntou o motorista.

O soldado olhou para Tatiana e depois para o motorista.

– Oh! Pelo amor de Lênin e Stálin! O motorista berrou, batendo a porta do veículo pela segunda vez.”

O Cavaleiro de Bronze


” [...] No entanto, nessa brilhante tarde de domingo, Alexander não sabia de nada, não pensava em nada, não imaginava nada. Esqueceu-se de Dimitri, da guerra, da União Soviética e seus planos de fuga, esqueceu até os Estados Unidos, e atravessou a rua para encontrar-se com Tatiana Metanova.”

 Tatiana e Alexander


” [...] Anthony permaneceu pensativo. ‘Uma vez ouvi você dizer à mamãe que você nasceu duas vezes, uma em 1919 e outra vez com ela. Foi nessa rua de Leningrado?’
– Eu disse isso? -Alexander não se lembrava. Quando eu disse isso?
‘Em Bethel Island. Eu estava deitado dormindo ao lado dela e você sussurrou isso em seu ouvido’ “

O Jardim de Verão

~ Fabi

Citação do Dia

tatia shura

“Tatiana,” Alexander disse, sua voz cheia de emoção, “Eu te amo.”

Ela fechou os olhos. “Obrigada,” ela sussurrou.

“Não me venha com isso,” ele disse, levantando o rosto dela para si. “Eu nunca ouvi você dizer para mim.”

Não podia ser verdade, pensou Tatiana. Senti isso cada minuto de cada dia desde que nos conhecemos. Transbordando. “Eu te amo, Alexander.”

“Obrigado,” ele sussurrou, olhando para ela. “Diga novamente.”

“Eu te amo.” Ela o abraçou. “Eu te amo até perder o fôlego, meu homem maravilhoso.” Com ternura ela sorriu para ele. “Mas você sabe, eu também nunca ouvi você dizer para mim.”

“Sim você ouviu, Tatiana,” disse Alexander. “Você me ouviu dizer para você.”

Passou-se um momento.

Ela não falou, nem respirou, nem piscou.

“Você quer saber como eu sei?” ele sussurrou.

“Como?” Ela murmurou em voz alta.

“Por que você se levantou daquele trenó…”

-  O Cavaleiro de Bronze (pág 532)

~ Alê

Citação do Dia

5459077

“Alexander, você é meu primeiro amor. Você sabia?”  Ele apertou seu bumbum, pressionando seu corpo contra o dela, lambeu o sal de seu rosto e acenou positivamente. “Eu sei disso.”

Oh?

Tatia, eu sabia mesmo antes de você mesma descobrir.” Ele sorriu. “Antes de você finalmente descobrir a palavra para descrever para si mesma o que você sentia, eu sabia desde o começo. De que outro modo você poderia ter sido tão tímida e inocente?”

Inocente?

Sim.”

Eu era tão óbvia assim?

Sim.” Alexander sorriu. “Sua incapacidade de olhar para mim em público e ainda sua total devoção ao meu rosto quando estávamos juntos a sós – como agora,” ele disse, beijando-a. “Seu embaraço com as menos coisas – eu não podia ao menos pôr uma mão em você no bonde sem que você ficasse corada… seus dedos em mim quando eu lhe falava sobre os Estados Unidos… seu sorriso, seu sorriso Tania, quando você corria para mim em Kirov.” Alexander balançou a cabeça com a lembrança. “Que bela prisão você armou para mim com seu primeiro amor.”

The Bronze Horseman  – Livro II (O Portão Dourado)

~ Alê

 

 

#TBHBRnaRússia | # 6 Catedral de St. Isaac’s

” ‘Estou indo em direção a St. Isaac’s. Eu cuido dos ataques aéreos acima da cúpula (…)’ “

A Catedral de St. Isaac’s foi dedicada ao São Isaac de Dalmatia, o chamado ‘santo-patrono’ do Czar Pedro, o Grande (olha ele de nooovooo!) e teve sua construção completada em 1858. A belíssima cúpula dourada pode ser vista de qualquer ponto do centro histórico da cidade, sendo uma das maiores construções da Igreja Ortodoxa de São Petersburgo.

pic1Algumas visões da cúpula da Catedral (duas da Praça do Palácio e outra de um certo monumento que nós conhecemos!)

” ‘Eu preciso conversar com você e sozinha. Venha me ver hoje a noite na St. Isaac’s.’ O turbulento coração de Tatiana martelou em seu peito. St. Isaac’s! ‘Alexander, eu mal posso andar os três quarteirões até o hospital. Como eu vou fazer para chegar na St. Isaac’s?’ Mas Tatiana sabia: mesmo que ela tivesse que rastejar, puxando a perna, ela iria chegar até a Catedral.”

Acho que todo mundo lembra das cenas da Catedral! Por muitos momentos do livro, foram as lembranças desta cena que faziam com que Tatiana se mantivesse em pé nos piores momentos – mesmo que durante o período Comunista muitos serviços religiosos fossem proibidos, o encontro furtivo de Tatiana e Alexander na Catedral serviu como uma reavivação de fé em meio ao caos, se podemos assim dizer.  Como boa fã, eu fiquei uns belos minutos olhando para o topo da catedral, relembrando as cenas e rindo sozinha igual uma besta! <3

20140627_193218A belíssima Catedral de St. Isaac’s!

Com a elevação do regime comunista, os serviços religiosos sofreram uma grande repressão e em 1931 a Catedral se transformou no Museu da História da Religião e Ateísmo, e alguns anos depois as peças relacionadas a Religião e Ateísmo foram transferidas para outra Catedral, a belíssima Catedral de Kazan, e o museu de St. Isaac’s foi focado em artigos da própria igreja.

E aqui vai uma curiosidade: durante a Segunda Guerra Mundial, a cúpula da igreja foi pintada de cinza para confundir a artilharia inimiga e assim evitar ataques aéreos no local. Com a queda do comunismo, uma parte da Catedral foi reaberta e os serviços religiosos foram retomados aos poucos em algumas capelas específicas da Catedral. Hoje, apenas serviços de grande público são realizados ali e a Catedral foi aberta a visitação.

20140625_210506Mais uma imagem da Catedral – na história de O Cavaleiro de Bronze, Tatiana se encontrou com Alexander no topo da cúpula e lá ele contou uma série de detalhes de sua história, e fez com que nós (as pobres fãs) suspirássemos (e chorássemos) ainda mais! <3

Lembram-se quando falamos sobre  o Hotel Astoria e os bombardeios na Nevsky Prospekt? O Astoria fica na frente da Catedral e reza a lenda (ou a história, who knows!) que Hitler teria reservado o Astoria para comemorar o caput da cidade.

” ‘Você sabe onde fica o Astoria, Tania. É próximo a St. Isaac’s.’ E o rosto de Tatiana enrubesceu.” 

20140627_192655O hotel Astoria fica na praça em frente a Catedral – nesta foto pode-se ver o Hotel como o edifício de topo ‘pontudo’ no centro da foto.  Dá pra imaginar Hitler comemorando a entrada na Rússia ali?

Ficamos por aqui hoje, e na segunda, 11 de Agosto, falaremos de um dos mais belos fenômenos mundiais: as noites brancas de São Petersburgo! Até lá! <3

~Viviane Cordeiro (Vivika)

#TBHBRnaRússia | # 5 Jardim de Verão (Summer Garden)

Para aqueles que já tiveram a oportunidade de ler a trilogia completa do Cavaleiro de Bronze já tem uma noção do quão importante é esse local (haja visto que é ele que dá nome ao último livro), mas seja em qualquer um dos três livros, o Jardim de Verão é sempre um sonho pra qualquer fã!

Em sua longa vida, o Jardim de Verão já assistiu muitas cenas: a desastrosa inundação de 1777 que acabou com uma boa parcela do Jardim, uma tentativa de assassinato de um Czar… o próprio jardim tem tanta história quanto a cidade! <3 A localização do Jardim também é uma felicidade a parte: ao lado do Campo de Marte (o Field of Mars que falamos na semana passada), de frente ao Rio Neva! Fala se não é pra se apaixonar? Falando em paixão, para os nossos queridos Tatia e Shura então, o Jardim de Verão é mais que especial.

“Eles cruzaram o Campo de Marte, em direção ao Jardim de Verão. Ao fim da rua, o rio Neva brilhava na luz da noite, por mais que já fosse quase nove horas. O Jardim de Verão era o lugar errado para eles. Alexander e Tatiana não conseguiram achar um banco vazio dentre os longos corredores, as estatuas gregas, e os amantes entrelaçados…”

pic1Algumas imagens do Jardim de Verão! Simplesmente lindo! 

Dentro do espaço onde hoje abriga o Jardim de Verão, também fica a residência de verão do Czar Pedro, o Grande (praticamente o patrono de toda a cidade), além de espaços com belas fontes (relembrando as Fábulas de Esopo) e locais utilizados pelo Czar e sua esposa em visitas ao local. Muitos destes espaços foram destruídos na inundação de 1777 e mesmo com a restauração, nem tudo voltou ao seu devido local.  Todo o Jardim é ladeado por belíssimas estátuas de deuses gregos, mas muitas destas estátuas foram destruídas e réplicas foram comissionadas para tomarem seus lugares.

“Eles finalmente acharam um local para se sentarem, perto da estátua de Saturno. Aquele não era o local ideal, Tatiana pensou, já que Saturno estava com a boca aberta e engolia uma criança (…). Alexander colocou a vodka de lado, e olhou para Saturno. ‘Uma outra estátua teria sido melhor, não acha?’ ele perguntou. ‘Minha comida está entalada na minha garganta enquanto vejo Saturno devorando um dos seus próprios filhos.’ “

20140625_120106E aqui está ele: o banco onde Alexander comemorou o aniversário da Tatiana, de frente a estátua de Saturno (e sim, eu sentei ali também)!! <3 <3 

Siiiiiim, o aniversário de Tatiana! <3 Talvez uma das passagens mais meigas e emocionantes de todo o livro! Foi uma verdadeira emoção entrar no Jardim de Verão, hoje todo restaurado e sob posse do Russian Museum, a maior entidade histórica do país. Não é cobrado entrada no local, eles apenas pedem uma singela doação para manutenção do Jardim. Logo na entrada você é recebido por uma placa comemorativa da elevação do parque à status de museu e uma explicação interessante para nós, leitores de O Cavaleiro de Bronze: vocês sabiam que mesmo durante o cerco a Leningrado nenhuma árvore foi cortada do Jardim de Verão? Pode-se dizer que é um dos poucos lugares em toda São Petersburgo que se mantém 100% fiel a época.

Bom, ficamos por aqui e quinta feira, 07/08, falaremos sobre a Catedral de St. Isaac’s! Quem lembrar tuuuuuuuuuuuuudo que aconteceu por lá ganha um biscoito! o/

PS: E só pra não dizerem que eu sou malvada, aqui vai meu sorvete de Crème Brûlée direto do Jardim de Verão! (e sim, eu fiquei sentada numa p#rra de um banquinho esperando um soldado de uniforme que não chegou :'( !)

20140625_114430Meu sorvete de Crème Brûlée, até fiquei sentadinha no banquinho…só faltou meu Shura… #chateada

Até lá!

~Viviane Cordeiro (Vivika)